Na tarde de ontem, dia 4, a Infraero informou ao Tribunal Superior do Trabalho que manterá a vigência do acordo coletivo até 30 de novembro de 2019. Com isso, o processo de mediação no TST continuará em aberto e as partes deverão retornar à mesa de negociação o mais rápido possível. Porém, não sabemos ainda se a empresa irá partir do ponto de onde foi rejeitado nas assembleias, ou seja, se a Infraero poderá trazer para a mesa algumas surpresas positivas ou negativas.


Até a rodada de negociações não podemos antecipar ou prever ‘qual’ Infraero o sindicato irá encontrar na mesa. Porque, teoricamente, o avanço que foi despachado pelo vice presidente do TST, ministro Renato Paiva, e rejeitado nas assembleias, perde seu efeito de retomada para as partes. Porém, o Sina irá para a mesa com o discurso de que não poderemos regredir em uma proposta que já foi rejeitada pela categoria e voltarmos com uma outra menor que traga algum prejuízo para a categoria e esperarmos que desta vez seja aprovada. No entanto, lembramos aqui que o bom senso requerido pelo ministro vice presidente do Tribunal vale para a empresa, sindicato e a própria categoria. Vamos em frente. Vide vídeo.