Presidente do Sina, Francisco Lemos

Veja a matéria na íntegra: Governo bate o martelo e decide vender a Infraero – 09/04/2018 22:30 – Jornal O Globo

 

Veja a transcrição do áudio, na íntegra.

FRANCISCO LEMOS, PRESIDENTE DO SINA, COMENTA A MATÉRIA DO JORNAL O GLOBO “GOVERNO BATE O MARTELO E DECIDE VENDER A INFRAERO”.

Hoje, 10 de abril de 2018, terça-feira, quem está falando é Francisco Lemos, presidente do Sina. Bom pessoal, o objetivo desse meu pronunciamento aqui, em áudio, e a urgência disso é comentar e analisar a matéria que saiu ontem, no jornal O Globo, intitulada de “Governo bate o martelo e decide vender a Infraero”. Bom, vamos lá a uma análise e comentários em parte.

Em primeiro lugar, o jornal que veicula essa matéria, O Globo, faz parte das Organizações Globo que se diz o quarto poder aqui no Brasil há muito tempo. Inclusive essas Organizações detém o monopólio da mídia há anos, inclusive na parte de entretenimento com uma programação preconceituosa e medíocre.

Quanto a quem escreveu a matéria, a jornalista que escreveu a matéria, eu gostaria de deixar claro que há anos eu não concedo entrevista a essa profissional. Tanto que eu a conheço pelo menos há uns 12 anos e percebo, cada vez que eu encontro com ela, que ela não escreve nada em favor da Infraero, muito menos nada em favor dos empregados da Infraero. O objetivo dela, em quase todas as matérias dessa senhora, é direcionado a liquidar a estatal e a diminuir e denegrir a imagem da Infraero.

Bom, evidentemente, eu não estou dizendo com isso que o objetivo do jornal, da jornalista e do governo não seja liquidar a nossa empresa. Não é esse. Inclusive o conteúdo. Mas no conteúdo da matéria a gente consegue identificar algumas características de matérias como essa.

Primeiro é desestabilizar, causar pânico na categoria. Evidentemente, eu não estou dizendo que não seja preocupante, ou estou desmentindo o objetivo dessa matéria. Não se trata disso. Mas, nitidamente, a matéria ataca a nossa estabilidade até 2020. Coloca os funcionários, os empregados da Infraero, como estorvo, como o fator principal da empresa estar quebrada.

Coloca inclusive – um aspecto extremamente que deve ser analisado – é a covardia de como a diretoria da Infraero está sendo tratada, se é que foi isso mesmo, a diretoria é uma covarde. O presidente Claret e seus diretores colocarem na mesa do Ministério do Planejamento, lá na SEST, a condição de vender a Infraero, de preparar nesse governo a Infraero para ser entregue dentro de um próximo governo.

É preocupante. Eu acho que o senhor Claret e sua diretoria devem sair rebatendo isso, ou então endossar, vestir a carapuça e dizer: – Nós estamos aqui realmente para acabar com a empresa.

Eu vejo nesse momento, como presidente do Sindicato, uma preocupação grande. Se a nossa categoria está desestimulada, vai ficar pior. E o Sindicato, evidentemente, vai reagir. Agora, fica muito claro na matéria que eles tentaram de tudo fazer como fizeram, como noticiado sexta-feira, lá na Casa da Moeda, demitir sem critério nenhum, ou apenas dizer que o camarada estava em vias de se aposentar ou aposentado, os seus empregados lá na Casa da Moeda. Coisa que não conseguiram fazer aqui na Infraero pela força do Acordo de Estabilidade que o nosso Sindicato assinou no passado. Então temos esse acordo.

Mencionei ontem, numa matéria que falava a respeito da negociação da data-base, que semana passada o Ministério Público do Trabalho chancelou esse acordo, e a Infraero sabe que não pode demitir ninguém até o final desse acordo.

É revoltante o comportamento dessa diretoria da empresa se ela não se pronunciar, se ela não desmentir isso. Agora, fica muito claro que é matéria com objetivo de causar pânico e desestabilizar a nossa categoria.

O Sindicato irá reagir com força e a primeira atitude é exigir uma resposta da diretoria dessa empresa.

Outra coisa, companheiros e companheiras, que a gente vem observando. Nesse país, a classe trabalhadora está sendo esmagada, está sendo descartada, inclusive por esse veículo que veiculou essa matéria. É um dos grandes vilões para denegrir e diminuir a importância do trabalhador brasileiro. Essa Rede Globo e tudo quanto vem dela é para diminuir e desvalorizar a gente.

Eles gostariam mesmo é que a gente voltasse lá ao século XIX, pichasse todo mundo de negro e colocasse no açoite para trabalhar de graça para essa burguesia deslavada que está querendo dominar esse país e nos amedrontar. A categoria aeroportuária não irá se amedrontar seu Claret, nem Rede Globo e nem Ministério do Planejamento. Nós lutaremos com força para defender a nossa empresa.

E o senhor, tenha certeza de uma coisa, se estiver contra a gente, é hora de pegar a mala e partir. Porque a gente vai enxotar vocês, o mais cedo ou mais tarde possível, dentro dessa empresa. Vergonha, vergonha uma diretoria de uma estatal da envergadura da Infraero, reconhecida internacionalmente, estar com uma postura dessa, de entreguismo. Vocês não perdem por esperar.

Outra coisa pessoal, nós precisamos nesse momento é de união, é de fortalecer o Sindicato. Eles estão tentando acabar com o movimento sindical. Já fizeram a reforma trabalhista, já estão tirando as fontes de financiamento do nosso Sindicato, de todos os sindicatos. Porque é a união dos trabalhadores que vai trazer a nossa sobrevivência diante desse capitalismo vagabundo que está querendo dominar o mundo novamente.

Então, eu peço a vocês, nesse momento, vamos fortalecer a luta, fiquem atentos. Porque o Sindicato irá reagir com muita força. E vamos também apoiar o nosso Sindicato. Eu tenho uma característica de aceitar a crítica. Mas nesse momento, pelo amor de Deus, não é o momento de crítica. Agora é o momento de união, de esforço. Se você não é sindicalizado, se sindicalize. Porque o nosso Sindicato precisa do seu apoio, precisa do seu financiamento, pra gente poder continuar na luta. Eles querem nos quebrar, mas não conseguirão. É isso o que eu tenho a dizer.

Durante esses próximos dias, vou cobrar uma posição firme e um pronunciamento da diretoria da Infraero. Caso contrário, o pau vai comer nesses aeroportos. Fortaleça o seu Sindicato. Sindicalize-se. Companheiros e companheiras do Sina, peçam a sindicalização de todo o mundo. Precisamos ter um sindicato cada vez mais forte.

Evidentemente, tivemos uma queda de sócios com o PDITA, da qual não nos opusemos, os companheiros que quiseram ir embora foram embora. Mas a gente precisa de novo fortalecer nossas fileiras e precisamos da sua sindicalização, do seu empenho e ficar atento. Se o Sindicato chegar e disser – Parou!, vamos parar e dar porrada em quem não parar. Entendeu? Acabou. É chega o dia do sangue no olho.

Precisamos de um sindicato forte, precisamos da categoria forte e precisamos dar uma resposta para esses (desculpa) vagabundos de plantão que estão dentro do governo e a serviço dele. Muito obrigado. Bom dia. Vamos a luta! Aeroportuário forte é aeroportuário unido!