O novo presidente da Infraero, brigadeiro Hélio Paes de Barros Júnior, não assumirá o cargo até junho de 2019. O motivo é a quarentena decidida pelo relator do processo, o subchefe-adjunto para Assuntos Jurídicos da Casa Civil, Erick Biill Vidigal. Ele considerou que há conflito de interesse na assunção do cargo, uma vez que o brigadeiro é ex-diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

O pedido chegou ao colegiado em 12 de dezembro, e o despacho foi feito no dia 18, onde o relator diz: “Entendo que o consulente não poderá ser dispensado do cumprimento de seis meses de quarentena, cabendo-lhe perceber a remuneração compensatória por igual no período”.

Com a decisão, a posse do brigadeiro Barros Júnior só vai ocorrer em junho. Até lá, a diretoria de Administração da Infraero, Martha Seillier, irá representá-lo no cargo.

Hélio Paes de Barros Júnior (Roque Sá/Agência Senado)